BREVES CONSIDERAÇÕES CRÍTICAS ACERCA DAS DIRETRIZES DA INTERNATIONAL BAR ASSOCIATION SOBRE A REPRESENTAÇÃO DE PARTE NA ARBITRAGEM INTERNACIONAL

Carlos Alberto Carmona

Resumo


I – Soft law: nova mania internacional?  II – Uma Task Force pouco diversificada.  III – Âmbito de aplicação das Guidelines.  IV – Representação da parte.  V – Comunicação com os árbitros.  VI – Alegações feitas pelos representantes de parte ao Tribunal Arbitral.  VII – Troca de informações e revelações.  VIII – Testemunhas e peritos.  IX – Remédios para a má conduta do representante de parte.  X – Para concluir. 


Texto completo:

VER EM PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.