PEDRO CASALDÁLIGA: À FRONTEIRA DO DISCURSO

Edson Flávio Santos

Resumo


O olhar do presente trabalho, intenta perceber como a ideia de fronteira interage com a ação do intelectual engajado, tendo como base de estudo parte da obra literária em poesia de Casaldáliga, produzida em Mato Grosso. As análises se pautam em estudos de SARTRE (1993), FOCAULT (1977) e BOSI (2002).


Palavras-chave


Pedro Casaldáliga. Crítica Poética. Fronteira.

Texto completo:

PDF

Referências


ABDALA JUNIOR, Benjamin. Literatura, história e política: literaturas de língua portuguesa no século XX. São Paulo: Ateliê, 2007.

________. Fronteiras múltiplas e identidades plurais: ensaios sobre mestiçagem e hibridismo cultural. São Paulo: Editora Senac, 2002.

BACHELARD, Gaston. A água e os sonhos: ensaio sobre a imaginação da matéria. Trad. Antônio de Pádua Danesi. São Paulo: Martins Fontes, 1997.

BLOCH, Ernst. O princípio esperança. Trad. Nélio Schneider. Rio de Janeiro: EDUERJ: Contraponto. 2005. (Volume 1).

BOFF, Leonardo. Uma revolução espiritual. In:______. Murais da libertação. São Paulo: Loyola, 2005.

BOSI, Alfredo. Dialética da colonização. São Paulo: Companhia das Letras, 1992.

________. Ideologia e contraideologia: temas e variações. São Paulo: Companhia das Letras, 2010.

________. Literatura e resistência. São Paulo: Companhia das Letras, 2002.

________. O ser e o tempo da poesia. São Paulo: Companhia das Letras, 2000.

________. A esperança rebelde na poesia de Pedro Casaldáliga. In:______. Versos adversos. São Paulo: Editora Fundação Perseu Abramo, 2006.

CANDIDO, Antonio. Literatura e sociedade. São Paulo: T.A.Queiroz, 2000.

________. O estudo analítico do poema. São Paulo: Humanitas Publicações/FFLCH/USP, 1996.

CASALDALIGA, Pedro. Águas do tempo. Cuiabá: Ed.Amazônia/Fundação Cultural de Mato Grosso, 1989.

________. A igreja da Amazônia contra o latifúndio e a opressão social. São Félix do Araguaia: s.n., 1970.

________. Antologia retirante. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 1978.

________. Versos adversos. Antologia, de Pedro Casaldáliga. São Paulo: Fundação Perseu Abramo, 2006.

DENIS, Benoît. Literatura e engajamento: de Pascal a Sartre. São Paulo: EDUSC, 2002.

ESCRIBANO, Francesco. Descalço sobre a terra vermelha. Campinas: Unicamp, 2000.

FOUCAULT, Michel. Microfísica do poder. Organização, introdução e revisão técnica de Roberto Machado. Disponível em . Acesso em: 10 jan. 2011.

LEITE, Mário Cezar Silva. (Org.). Mapas da mina: estudos de literatura em Mato Grosso. Cuiabá: Cathedral Publicações, 2005.

MAGALHAES, Hilda. História da literatura de Mato Grosso: Século XX. Cuiabá: Unicem publicações, 2001.

________. Literatura e poder em Mato Grosso. Brasília: Ministério da Integração Nacional: UFMT, 2002.

________. Relações de poder na literatura da Amazônia Legal. Cuiabá: EdUFMT, 2002.

MARTINS, Nilce Santana. Introdução à estilística: a expressividade da língua portuguesa. São Paulo: T.A.Queiroz/Edusp, 2000.

SAID, E. Cultura e política. Trad. Luiz Bernardo Pericás. São Paulo: Boitempo, 2003.

______. Representações do intelectual: as Conferências Reith de 1993. Trad. Milton Hatoum. São Paulo: Companhia das Letras, 2005.

SANTOS, Edson Flávio. Cercas malditas: utopia e rebeldia na obra de Dom Pedro Casaldáliga. Tangará da Serra/MT: UNEMAT, 2011. 84f.

SARTRE, Jean-Paul. Que é a literatura? São Paulo: Ática, 1993.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.