LETRAMENTOS, INTERAÇÃO E DISCURSO NA SALA DE AULA: REFLEXÕES SOBRE A FORMAÇÃO DE LEITORES

Alexandre José Pinto Cadilhe de Assis Jácome

Resumo


Neste artigo, tenho como objetivo construir uma reflexão sobre as práticas de leitura na escola. São consideradas para fins de reflexão as concepções de letramento e literatura como práticas sociais que fundamentam um trabalho crítico em sala de aula. Em seguida, são descritas e analisadas três aulas de Literatura geradas em um estudo de cunho etnográfico. Os resultados apontam o caráter híbrido das práticas leitoras na escola, cujas mudanças perpassam ações que vão de condições de trabalho a políticas públicas de formação docente.


Palavras-chave


Educação, Letramento, Discurso Literário

Texto completo:

VER EM PDF

Referências


ABREU, M. Cultura letrada: literatura e leitura. São Paulo: Editora Unesp, 2006.

ANTUNES, I. Aula de Português: encontro e interação. São Paulo: Parábola Editorial, 2003.

CADILHE, A.J. Letramento e Literatura no ensino médio noturno: um estudo de caso etnográfico. Dissertação de Mestrado em Linguística Aplicada. Rio de Janeiro: Faculdade de Letras da UFRJ, 2007.

BARTON, D. Directions for literacy research: analysing language and social practices in a textually mediated Word. In Language ande Education, v.5, n.2 & 3, 2001.

_____ & HAMILTON, M. Literacy, reification and the dynamics of social interaction. In _____ & TUSTING, K. (eds.). Beyong communities of practice: language, power and social context. Cambridge University Press, 2005.

_____ & LEE, C. Linguagem online: textos e práticas digitais. São Paulo: Parábola, 2015.

BLOOME, D. Necessary indetermination and the microethnography study of reading as social process.Journal of research in reading, 16(2), 1993.

_____. & BAILEY, F.M. Studying language and literacy through events, particularity and intertextuality. In BEACH, J; GREEN, M; SHANAHAN, T. (eds.) Multiple disciplinary perspectives on literacy research. Urban, NCRT, 1992.

_____. Reading as social event. Advances in Reading / Language Research, v.2, 1983.

CARTER, R. Literature and Language Teaching 1986-1996: a review. International Journal of Applied Linguistics, v. 17, n.1, p.01-13, 2007.

_____ ; NASH, W. Language and Literariness. Prose Studies 6 (2), p.123-41, 1983.

EAGLETON, T. Teoria da Literatura: uma introdução. 5.ed. São Paulo: Martins Fontes, 2003.

FISH, S. Is there a text in this classe? The autorithy of interpretative communities. Cambridge / Londres: Harvard University Press, 1980.

KLEIMAN, A. Modelos de letramento e a prática de alfabetização na escola. In _____ (org.). Os significados do letramento: uma perspectiva sobre a prática social da escrita. Campinas: Mercado de Letras, 1995.

LAJOLO, M. Literatura: leitores e leitura. São Paulo: Moderna, 2001.

_____; ZILBERMAN, R. A Leitura Rarefeita: leitura e livro no Brasil. São Paulo: Ática, 2002.

LEMKE, J.L. Making Texts Talk. Theory into practice, 28 (2), 1989.

______. Letramento e oralidade nos contextos de práticas sociais e eventos comunicativos. In SIGNORINI, I. (org.). Investigando a relação oral / escrito e as teorias do letramento. Campinas: Mercado de Letras, 2001,

MAYBIN, J. & MOSS, G. Talk about texts: reading as a social event. Journal of research in reading, 16 (2), 1993.

Parâmetros Curriculares Nacionais para o Ensino Fundamental. Brasília: Ministério da Educação, 1998.

Parâmetros Curriculares Nacionais para Ensino Médio. Brasília: Ministério da Educação, 2000.

PCN + Ensino Médio: orientações educacionais complementares aos Parâmetros Curriculares Nacionais. Brasília: Ministério da Educação, 2002.

PNLEM / 2005: Língua Portuguesa. Brasília: MEC, SEMTEC, FNEDE, 2004.

ROJO, R. (org.). A prática de linguagem na sala de aula: praticando os PCN’s. Campinas: Mercado de Letras, 2000.

SILVA, E.T. Criticidade e leitura: ensaios. Campinas: Mercado de Letras, 1998.

SOARES, M. Letramento: um tema em três gêneros. Belo Horizonte: Autêntica, 2004.

SOUZA, L.M. O conflito de vozes na sala de aula. In CORACINI,M.J. (org.) O jogo discursivo na sala de aula. Campinas: Pontes, 2002.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.