BIOÉTICA E GÊNERO: AS FACES DOS DIREITOS HUMANOS, FRENTE À TRANSEXUALIDADE.

Núbia dos santos cruz, Rafael dos Santos melo

Resumo


 

 

O objetivo deste artigo é abordar o papel dos direitos humanos, com enfoque bioético na construção do reconhecimento da autonomia da pessoa transexual. Dentro de uma sociedade que se utiliza do gênero como primeiro marcador social, qual é o papel do Estado para salvaguardar direitos e garantir à autonomia, de forma há desenvolver um processo de intervenção a capacidade de autodeterminação à população transexual sobre seus corpos e identidades.


Palavras-chave


Transgênero. Direito Humanos. Bioética. Autonomia.

Texto completo:

PDF

Referências


ACCIOLY, Hildebrando; SILVA, Geraldo Eulálio do Nascimento; CASELLA, Paulo Borba. Manual de Direito Internacional Público. 23ª ed. São Paulo: Saraiva, 2017.

ARAÚJO, Luiz Alberto David. A Proteção Constitucional do Transexual. São Paulo: Saraiva, 2000.

BENTO, Berenice. A reinvenção do corpo: sexualidade e gênero na experiência transexual. Rio de Janeiro: Garamond, 2006.

BENTO, Berenice. O que é transexualidade. São Paulo: Brasiliense, 2008. (Primeiros Passos).

BENEVIDES, Bruna. Associação Nacional de Travestis e Transexuais. Brasília/DF. 2016. Disponível em: <>. Acessado em: 03 de maio. 2020

BEAUCHAMP, Tom; CHILDRESS, James. Princípios de ética biomédica. São Paulo: Edições Loyola, 2013.

BRASIL. Ministério da Saúde. Secretaria de Gestão Estratégica e Participativa. Departamento de Apoio à Gestão Participativa. Transexualidade e travestilidade na saúde / Ministério da Saúde, Secretaria de Gestão Estratégica e Participativa, Departamento de Apoio à Gestão Participativa. – Brasília: Ministério da Saúde, 2015.

BRASIL. Ministério da Saúde. Secretaria de Gestão Estratégica e Participativa. Departamento de Apoio à Gestão Participativa. Política Nacional de Saúde Integral de Lésbicas, Gays, Bissexuais, Travestis e Transexuais / Ministério da Saúde, Secretaria de Gestão Estratégica e Participativa, Departamento de Apoio à Gestão Participativa. Brasília: Ministério da Saúde, 2012.

BORBA, Rodrigo. O (Des) Aprendizado de Si: Transexualidades, Interação e Cuidado em Saúde. Rio de janeiro: editora Fiocruz, 2016.

BUTLER, Judith. Problemas de gênero: feminismo e subversão da identidade. 2ª ed. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2008.

CID-11. Despatologiza identidades trans e de gênero diverso. Disponível em: https://tgeu.org/icd-11-depathologizes-trans-and-gender-diverse-identities/. Acesso 24 de maio. 2020.

CENTRO LATINO-AMERICANO EM SEXUALIDADE E DIREITOS HUMANOS (CLAM). (2007) Princípios de Yogyakarta: Princípios Sobre a Aplicação da Legislação Internacional de Direitos Humanos em Relação à Orientação Sexual e Identidade de Gênero. Disponível em: http://www.clam.org.br/uploads/conteudo/principios_de_yogyakarta.pdf. Acesso em: 10 de maio. 2020.

CRUZ, Chandóha Rodrigo. O Reconhecimento do Transexual pelo Ordenamento Jurídico Brasileiro. Itajaí/SC: 2009. Monografia (Graduação Bacharelado em Direito) – Centro de Ciências Sócias e Jurídicas, Universidade Vale do Itajaí.

CUNHA, Leandro Reinaldo da. Direitos dos transgêneros sob a perspectiva europeia. IN DEBATER A EUROPA. Periódico do CIEDA e do CEIS20, em parceria com GPE e a RCE. N.19 jul/dez 2018 – Semestral ISSN 1647-6336. Disponível em: https://impactum-journals.uc.pt/debatereuropa/article/download/5561/4493/. Acesso em: 15 de maio. 2020.

DIAS, Maria Berenice. Homoafetividade e os Direitos LGBTI. São Paulo. Revista dos Tribunais, 2014, págs. 45.

DINIZ, Débora; GUILHEM, Dirce. O que é Bioética. São Paulo: Brasiliense, 2007.

DINIZ, Maria Helena. O Estado Atual do Biodireito. 4ª ed. São Paulo: Saraiva, 2007, p. 882.

FORTES, Paulo Antônio de Carvalho. ZOBOLI, Elma Lourdes Campos Pavone Zoboli. Bioética e saúde pública: entre o individual e o coletivo. São Paulo: 2003.

FOUCAULT, Michel. Microfísica do Poder. Rio de Janeiro: Edições Graal, 1979.

FOUCAULT, Michel. História da Sexualidade I: a vontade de saber. Rio de Janeiro: Edições Graal, 1988.

GUERRA, Sidney. O Sistema Interamericano de Proteção dos Direitos Humanos e o Controle de Convencionalidade. São Paulo: Atlas, 2013.

GRADE, Cláudia; GROSS, Carolina Baldissera; UBESSI, Liamara Denise. Patologização da transexualidade a partir de uma revisão integrativa. Psic., Saúde & Doenças, Lisboa, v. 20, n. 2, p 435-451, ago/2019. Disponível em: http://www.scielo.mec.pt/pdf/psd/v20n2/v20n2a13.pdf. Acesso em 01 de maio. 2020.

NARDI, C.H.; Silveira, R.S.; MACHADO, S. P. Diversidade Sexual, Relações de Gênero e Políticas Públicas. Porto Alegre: Sulina. 2013.

NERY, João W. Viagem Solitária: Memórias de um Transexual 30 anos depois. São Paulo: Leya, 201 0.

KANT, Immanuel, Fundamentos da Metafísica dos Costumes, Rio de Janeiro: Ediouro, 1997.

LOURENZATTO, R. Cristina, et al. Bioética de Intervenção: aproximação com os direitos humanos e empoderamento. São Paulo/SP: Revista Brasileira de Bioética. volume 3, número 2, 2007.

VENTURA, Miriam. A Transexualidade no Tribunal: Saúde e Cidadania. Rio de Janeiro: Ed. UERJ. 2010.

VIERA, Tereza Rodrigues. A Auto Determinação das Pessoas transgênero e Cisgênero e o Reconhecimento da Adequação do Registro Civil. Curitiba/PR 2017. Pós- Doutorado (Direito Civil) – Conselho Nacional de Pesquisa e Pós-Graduação em Direito (CONPEDI), p 150 a 165, XXV – Congresso do CONPEDI.

MALUF, Adriana Caldas de Rego Freitas Dabus. Curso de bioética e biodireito. 3ª ed. São Paulo: Atlas, 2015.

MOORE, Henrietta. Compreendendo Sexo e Gênero. Biologia e cultura. Disponível em: https://edisciplinas.usp.br/pluginfile.php/269229/mod_resource/content/0/henrietta%20moore%20compreendendo%20sexo%20e%20g%C3%AAnero.pdf. Acesso em 26 de maio. 2020.

PERES, Ana Paula Ariston Barion. Transexualismo: o direito a uma nova identidade sexual. Rio de Janeiro: Renovar, 2001.

PEREIRA, Grant Carolina. Bioética e Transexualidade: para além da patologização, uma questão de identidade de gênero. Trabalho publicado nos Anais do XIX Encontro Nacional do CONPEDI realizado em Fortaleza - CE nos dias 09, 10, 11 e 12 de Junho de 2010.

PESSINI, Léo. BARCHIFONTAINE, Christian de Paul de. Problemas Atuais de Bioética. 4ª ed. São Paulo: Loyola, 1991. Cap.1, p. 14-18.

RAUPP, Rios Roger. Liberdade e Direitos Sexuais – O Problema a Partir da Moral Moderna: em defesa dos direitos sexuais. Porto Alegre: Livraria do Advogado: 2007 p. 62.

TGEU (Transgender Europe). Diretrizes para Assistência Médica Transespecífica baseada em Direitos Humanos, 2019. Disponível em: https://tgeu.org/wp-content/uploads/2019/12/TGEU-Guidelines-to-Human-Rights-Based-Trans-specific-Healthcare-EN.pdf. Acesso em 22 de mar. 2020.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.