A APRENDIZAGEM EMPREENDEDORA NA INCUBADORA DE BASE TECNOLÓGICA DO CRITT/UFJF

Danilo Amara da Fonseca, Rafael Vítor Gonçalves de Aquino, Cristiana Salles Coelho Dutra Borges Arbex, Danilo de Oliveira Sampaio

Resumo


O objetivo principal da pesquisa é identificar se os alunos de graduação que exercem atividade remunerada como bolsistas em uma incubadora de base tecnológica localizada em uma universidade federal brasileira adquirira conhecimento empreendedor em atividades desenvolvidas na incubadora. Para este trabalho foi utilizada uma pesquisa exploratória de natureza qualitativa. O método escolhido foi a entrevista semiestruturada e na análise dos dados utilizou-se a análise de conteúdo. Verificou-se no estudo que a prática de trabalhar numa incubadora possibilita um maior conhecimento de empreendedorismo. No decorrer da pesquisa foi também observado que há uma necessidade de melhoria na conscientização e entendimento dos alunos sobre a criação e funcionamento da incubadora e bem como na divulgação de vagas para os bolsistas. Para tanto, sugere-se maior disseminação das atividades da incubadora nos cursos de graduação da universidade estudada, para que então os alunos compreendam melhor a importância da incubadora no processo de geração de conhecimento. Verificou-se na pesquisa que a maior diferença entre o aprendizado na sala de aula e o que aprendem os bolsistas na incubadora, é a questão prática, e que a sala de aula e a vivência na incubadora são complementares na formação do aluno de graduação.

Palavras-chave


universidade, incubadora, empreendedorismo, inovação tecnológica, Brasil.

Texto completo:

PDF

Referências


BARDIN, Laurence. Análise do Conteúdo. Rio de Janeiro: Edições 70, 1991.

CANTILLON, R. Essai sur la nature du commerce em general. London, Fetcher Gyler, 1975. [Also edited in English version, with other material, by Henry Higgs, C. B., London, MacMillan, 1931.]

CHENG, L. C.; MENEZES, B. A busca pelos elos perdidos da cadeia de inovação: uma experiência de implementação de um centro de empreendedorismo tecnológico e de suas atividades. ENEGEP, 2006. Disponivel em: . Acesso em: 22 de junho de 2106.

CLARK, B. Creating Entrepreneurial Universities. Oxford: IAU Press-Elsevier, 2003.

CRESWELL, John W. Projeto de Pesquisa: métodos qualitativo, quantitativo e misto. Porto Alegre: Artmed, 2010.

DOLABELA, F. O Segredo de Luísa. São Paulo: Cultura e Editores Associados, 1999.

ETZKOWITZ, H. The evolution of the entrepreneurial university. Int J. Technological and Globalization, vol.1, no. 1, 2004, p.64-77.

ETZKOWITZ, H; KLOFSTEN, M. The innovation region: toward a theory of knowledge – based regional development. R&D Management 35, MA, USA: Blackwell Publishing Ltd, 2005.

FIALA, N.; ANDREASSI, T. As incubadoras como ambiente de aprendizagem do empreendedorismo. Administração: Ensino e Pesquisa, v. 14, nº 4, p. 759-783, 2013.

FILLION, L.J. Empreendedorismo: empreendedores e proprietários - gerentes de pequenos negócios. Revista de Administração, v.34, n.2, p. 02 - 28, 1999.

FILION, L. J. Empreendedorismo: empreendedores e proprietários-gerentes de pequenos negócios. Revista de Administração, São Paulo, v. 34, n. 2, p. 05-28, Abril/Junho 1999.

FROSSARD, L. M. et al. IBT Empreendedor: Disseminando a Cultura do Empreendedorismo e Inovação na Universidade Federal de Juiz de Fora–UFJF.

Hisrich, P. Entrepreneurship, intrapreneurship, and venture capital: the fundations of economic renaissance Org.: Robert D. Hisrich. Lexington: Lexington Books, 1986, p. 18-25.

LAKATOS, Eva Maria. Fundamentos de metodologia científica. 7. ed. São Paulo: Atlas, 2010

LAVIERI, C. Educação empreendedora? In: LOPES, R. M. Educação Empreendedora. Rio de Janeiro: Elsevier-Campus, 2010, cap. 1, p. 1-16.

MARGINSON, S; CONSIDINE, M. The enterprise university: power, governance and reinvention in Australia. Cambridge University Press, 272p, 2004.

Ndonzuau, F. N. Pirnay, F. Surlemont, B. A Stage Model of Academic Spinoff. Creation. Technovation, Vol. 22, p.281-289, 2002.

PLONSKI, G. A. Cooperação Universidade-Empresa: Um Desafio Gerencial Complexo. Revista de Administração, São Paulo, v.34, n.4, p. 5 - 12, Outubro/Dezembro 1999.

RAE, D.; CARSWELL, M. Using a life-story approach in researching entrepreneurial learning: The development of a conceptual model and its implications in the design of learning experiences. Education & Training, v. 42, n. 4/5, p. 220-227, 2000.

REYNOLDS, Paul D. Sociology and entrepreneurship: Concepts and contributions. Entrepreneurship theory and practice, v. 16, n. 2, p. 47-70, 1991.

Say, J. B. Traité d’économie politique: ou, simple exposicion de la manière dont se forment, se distribuent et se consomment les richesses (1803). Translation: Treatise on political economy: on the production, distribution and consumption of wealth. New York, Kelley, 1964. [1st ed. 1827]

Schumpeter, J. A. History of economic analysis. Edited by Elizabeth Boody Schumpeter, New York, Oxford University Press, 1964.

Schumpeter, J. A. The theory of economic development. Harvard University Press, 1949.

VERGARA, Sylvia Constant. Métodos de coleta de dados no campo. São Paulo: Atlas, 2009

VERSTRAETE, T. Entrepreneuriat: connaître l'entrepreneur, comprendre ses actes. Editions L'Harmattan, 1999.

ZAMPIER, M. Aparecida; TAKAHASHI, A. R. W. Competências empreendedoras e processos de aprendizagem empreendedora: modelo conceitual de pesquisa. Cadernos Ebape. BR, p. 564-585, 2011.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.